Open/Close Menu Site da Dra. Carolina Ambrogini, Ginecologista e Obstetra em São Paulo - SP, Especialista em Saúde Feminina e Sexualidade, consultório na Vila Olímpia.
reduz os efeitos da TPM
Como é sua TPM? Toda mulher tem suas características e deve aprender a lidar com ela todos os meses. Um chá, um chocolate ou apenas dormir podem ser algumas soluções encontradas para ao menos reduzir os efeitos que a tensão pré-menstrual causa de mês em mês. Entretanto, uma grande dúvida é se emendar a cartela de anticoncepcional pode diminuir esses efeitos. Pensando nisso, o Só Delas conversou com a ginecologista Dra. Carolina Ambrogini para saber se os efeitos da tensão pré-menstrual podem ser reduzidos dessa maneira. Confira!

Entenda como a pílula anticoncepcional pode contribuir para reduzir a TPM

Para atingir esse objetivo, a médica explica que a pílula vai ajudar se for usada de maneira contínua, não fazendo pausas. Manter o uso do método consegue resultar na diminuição dos efeitos característicos do período de tensão pré-menstrual. “Desta forma, não acontece a flutuação hormonal que causa um desequilíbrio dos neurotransmissores, gerando os sintomas da TPM”, explica ela. E ainda, vale ressaltar que qualquer método hormonal, seja as opções de pílula ou outros, quando usado continuamente, é capaz de produzir uma melhora na TPM.

Existe solução para as mulheres que não podem tomar a pílula?

Se você está também querendo driblar os sintomas da tensão pré-menstrual, mas não pode usar a pílula como método, existem outras possibilidades. A conhecida TPM é resultado do desequilíbrio de serotonina, que ocorre devido a baixa dos hormônio durante o período anterior a menstruação. Para as mulheres que não podem recorrer a pílula, é preciso analisar o nível dos efeitos causados para escolher a melhor alternativa. “Se a TPM for leve, a prática de atividade física deve ser recomendada”, indica a ginecologista. Já nos casos de moderada ou intensa, é possível fazer uso de antidepressivos de baixa dose durante o período, mas sempre lembrando de consultar sua ginecologista antes de iniciar o uso de qualquer medicamento.


O artigo acima foi escrito originalmente para o site Só Delas.

Crédito de imagem: Shutterstock

2018 © Carolina Ambrogini

Desenvolvido por S2W