Open/Close Menu Site da Dra. Carolina Ambrogini, Ginecologista e Obstetra em São Paulo - SP, Especialista em Saúde Feminina e Sexualidade, consultório na Vila Olímpia.
Corrimento vaginal

5 hábitos que causam corrimento vaginal

Secreções vaginais são normais, sabia? Trata-se da umidade natural do aparelho genital feminino. Durante a ovulação, por exemplo, você pode observar um líquido meio esbranquiçado e sem odor por alguns dias. Em alguns casos, no entanto, os corrimentos podem indicar alguma doença, principalmente quando vêm acompanhado de outros sintomas. O mais comum é o provocado pelo fungo Candida albicans, que também causa coceira e mau odor. Na dúvida, converse com o seu gineco. A seguir, veja cinco hábitos que acentuar o problema.

1) Usar lenços umedecidos

Eles podem ser úteis para levar na bolsa, mas usá-los todos os dias como parte da higiene íntima pode alterar a flora da região vaginal. E, como consequência, provocar corrimentos.

2) Ficar muitas horas de biquini molhado

Locais úmidos e escuros favorecem a proliferação de fungos e bactérias. Alguns deles, em excesso, causam corrimentos. Na volta da praia ou na piscina, troque as roupas de banho assim que possível.

3) Ter relações sexuais sem proteção

Essa é clássica. Transar sem camisinha, além do risco de engravidar, pode causar inúmeras doenças, entre elas a candidíase (aquela do fungo Candida albicans).

4) Usar calcinhas de tecidos sintéticos

Roupa íntima de tecido sintético prejudica a ventilação, digamos assim, da vagina. O que faz com que o local se torne abafado e perfeito para a proliferação de microorganismos indesejáveis. Prefira modelos de algodão.

5) Depilar a região do púbis em excesso

Assim como os da narina e os dos olhos, os pêlos pubianos têm a função de proteger a região da vagina de infecções. Por isso, a dica é depilar apenas o excesso e manter ao menos uma camada rente aos grandes lábios.

2020 © Carolina Ambrogini

Website gerenciado por Meu Consultório Digital

Siga-me nas redes sociais
InstagramWhatsApp