Open/Close Menu Site da Dra. Carolina Ambrogini, Ginecologista e Obstetra em São Paulo - SP, Especialista em Saúde Feminina e Sexualidade, consultório na Vila Olímpia.

O Bem Estar desta quarta-feira (24) falou de inchaço. No calor é normal, mas e quando uma perna incha e a outra não? Drenagem linfática ajuda a aliviar o inchaço? Para responder as perguntas convidamos a ginecologista Carolina Ambrogini e o cirurgião vascular Ivanésio Merlo.

O calor não é o principal fator para inchaço. Segundo o cirurgião vascular, no calor os vasos se dilatam e acabam favorecendo a migração dos líquidos que estão dentro do vaso para fora dele. O calor associado ao alto consumo de sal e TPM aumenta ainda mais o inchaço.

O inchaço pode ser um sinal de alerta, por isso é preciso ter atenção. O inchaço pode acontecer por causa do calor, sobrepeso, TPM, final de gestação, ficar sentado por muitas horas, mas também pode significar alguma doença, como varizes, trombose, um trauma, linfedema. Fique atento se notar que só uma perna inchou ou se as suas pálpebras estão inchadas, por exemplo.

E como aliviar o inchaço? Os especialistas dão a dica: beba água, use roupas leves, evite roupas apertadas, use calçados confortáveis e, se possível, faça drenagem linfática.

Trombose x pílula anticoncepcional
O nosso sistema circulatório é formado por muitos vasos que fazem a distribuição do sangue. Esse fluxo precisa ser contínuo e qualquer interrupção é sinal de alerta. Quando esse bloqueio é provocado por um coágulo pode levar a uma trombose. O sintoma mais comum é o inchaço.

“Se for uma dor súbita, se não estava inchada e nem dolorida e no dia seguinte está, vá a um pronto-socorro e procure um especialista”, alerta o cirurgião vascular Marcelo Matielo.

A preocupação é porque o coágulo pode se desprender e caminhar pela corrente sanguínea, chegar – por exemplo – ao pulmão, e fechar as artérias, provocando uma embolia pulmonar que pode até ser fatal. Mas nem sempre os sintomas são tão claros, o que pode confundir o diagnóstico. “Às vezes o paciente tem só um pouquinho de dor, de inchaço, mas não é aquela coisa exacerbada. Acha que torceu o pé, que teve uma distensão na musculatura.”

Mulheres que tomam anticoncepcionais tem um risco maior de desenvolver trombose. Isso acontece por causa dos hormônios presentes em algumas pílulas combinadas. O risco de trombose também aumenta no fim da gravidez e nos primeiros 40 dias depois do nascimento do bebê. É porque nessa fase o organismo da mãe passa a trabalhar pra que o sangue coagule mais facilmente.

Confira os vídeos do programa no link.

Fonte: Bem Estar

2020 © Carolina Ambrogini

Website gerenciado por Meu Consultório Digital

Siga-me nas redes sociais
InstagramWhatsApp