Open/Close Menu Site da Dra. Carolina Ambrogini, Ginecologista e Obstetra em São Paulo - SP, Especialista em Saúde Feminina e Sexualidade, consultório na Vila Olímpia.

Olhem a dúvida de J.:

Olá Dra Carolina, tenho 35 anos e sou casada há 10 anos. Ultimamente não tenho mais desejo sexual, sinto dor na relação e estou há quase 1 ano sem ter relações com meu marido. Ele não reclama, mas me sinto muito mal. O que fazer? Obrigada, J.
Vamos lá:
Cara J. , 1 ano sem transar é muito para quem é casado!  A não ser que algum dos parceiros tenha algum problema físico (ou mental)…O sexo marital exige frequência. Caso contrário, o casal vai se distanciando, vai perdendo o contato físico. Vão se criando abismos.
Tente olhar para tráz e ver o que aconteceu, o porquê da falta de desejo, da dor, do desinteresse pelo parceiro. O que aconteceu entre vocês? Foram brigas, decepções? Ele adquiriu uma barriga junto com uma careca? Ou você simplesmente se acostumou?
Muitas vezes, a causa não é tão simples de ser desvendada, principlamente quando o casal se dá bem. Ele é ótimo pai, vocês gostam das mesmas coisas, curtem a companhia um do outro, mas…a coisa não dá mais liga. O típico caso do marido que vira amigo. 
Pode ser isto mesmo, já que nem reclamar o coitado faz! Ah, mas que ele pensa em sexo, ele pensa. Querida, homem tem muita testosterona e pensa em sexo várias vezes por dia. Fato. É que de tanto você recusar ou fazer cara de dor, ele desistiu. Não é triste?
O casal precisa se reinventar em vários momentos, saber entender as transformações da vida, do corpo, das ideias e o sexo tem que mudar também! Não dá para ficar sexo-máquina-de-lavar-roupa, mecânico e igual, só para manter as engrenagens em ordem. O desejo, o nosso principalmente, vai minguando…
 Tudo bem, manter este desejo vibrante ao longo do tempo não é fácil.
 Precisa de novidade, de viagem, de cortesia, de gentileza, de admiração, de jantar, de pegada, de músculo ( ah, sim, eles gostam de bumbum, a gente gosta de músculo), de cheiro, de hotel, de motel, de escada de incêncio, de torpedo no meio do dia, de beijo de lingua, um filminho, uma lingerie nova, um” vem aqui que eu te quero agora”…é complexo, eu sei, mas o casal tem que exercitar.
Outra coisa, ternurinha demais também não dá certo. “Lindinho, amorzinho, fofinho” e tudo que termina em “inho” deve ser abolido imediatamente. O homem da gente tem que ser “ÃO”. Ternurinha deixa pra filho, ok?

Sem falar que cada um precisa ter seu espaço, seu tempo, sua individualidade, seus hobbies. Fazer tudo junto, compartilhar todos os momentos, contar cada segundo do seu dia, tira um pouco da privacidade, do mistério. A libido precisa de um certo mistério, suspense.

Sugiro, J., que você tente achar o ‘seu homem” no seu marido. Busque por coisas masculinas, admire-o fazendo a barba, de cueca, em atitudes másculas e admire outros homens também! Atice seu desejo, busque por ele. O que não dá é para ficar há 1ano, esperando o santo do desejo “baixar”, se mobilize!

Se nada funcionar, procure ajuda. Terapia, medicamento, dança do ventre, curso de streap….Só não fique parada, ok?

Até mais!

2020 © Carolina Ambrogini

Website gerenciado por Meu Consultório Digital

Siga-me nas redes sociais
InstagramWhatsApp