Open/Close Menu Site da Dra. Carolina Ambrogini, Ginecologista e Obstetra em São Paulo - SP, Especialista em Saúde Feminina e Sexualidade, consultório na Vila Olímpia.

   Cansei! Pelo ao menos uma vez por mês algum jornalista me pergunta sobre orgasmos múltiplos para alguma reportagem. Querem saber se é realmente possível e o “manual” para conseguir alcançar as estrelas repetidas vezes.
   O mundo de hoje tá tão maluco, que não basta ter um orgasmo. É pouco! Tem que ter vários ! Não é muita exigência não? Além das mulheres terem que ser magras, lindas, excelentes mães, profissionais de sucesso, esposas sedentas por sexo e etc, ainda tem que ter orgasmos múltiplos! Sabe o que parece? Falta de assunto para reportagem. Me pergunto quantas mulheres estão realmente interessadas nisto!
   Para quem ainda não leu as várias matérias sobre o tema, sim, é possível! Mas apenas uma minoria consegue, aquelas que tem uma maior sensibilidade genital, são super seguras e liberadas na cama e, o principal,  conseguem manter a excitação após disparado o “gatilho” do orgasmo. Isto é, não desanimam por aquele “soninho” gostoso e aconchegante causado pelo intenso prazer, mantém o estímulo excitatório. Mas não existe receita de bolo, para cada uma é diferente.
   Mas a minha questão é: ter orgasmos múltiplos é realmente importante? Em sexualidade (a séria e não a da revista), trabalhamos com o conceito de satisfação. O que importa é o casal sair satisfeito da relação, não interessa o que fizeram, mas estão felizes com o resultado.
Tem sempre que ter orgasmo? Não. Você pode não ter tido, mas tudo bem, foi legal assim mesmo, valeu a troca de carícias e a intimidade que o sexo traz.
O orgasmo com a penetração é melhor do que o orgasmo conseguido por outros meios? Não, isto é mito.
Existe o Ponto G? Ele nada mais é do que a base do clitóris que repousa sobre a parede anterior da vagina  (aquela ervilha que você vê, é a glande do clitóris, existe todo um tecido erétil por traz)

   Quando falamos em orgasmo, é legal mencionar os dois Fs: Fantasia e Fricção. Isto é, a cabeça tem que estar ligadona em algo “interessante”  e o clitóris tem que estar “participando” ativamente da coisa. Não pode ser esquecido. É o caminho mais fácil, porém existem infinitas maneiras de se “chegar lá”. O que não dá é ficar se sentindo “inferior” porque não consegue os tais orgasmos múltiplos.

2020 © Carolina Ambrogini

Website gerenciado por Meu Consultório Digital

Siga-me nas redes sociais
InstagramWhatsApp