Open/Close Menu Site da Dra. Carolina Ambrogini, Ginecologista e Obstetra em São Paulo - SP, Especialista em Saúde Feminina e Sexualidade, consultório na Vila Olímpia.

A maioria das mulheres confunde secreção vaginal com corrimento (secreção patológica). Então, como nas minhas consultas, vou ser bem clara: só crianças e idosas não têm secreção na calcinha! Todas as outras mulheres têm – e é perfeitamente normal. Um sinal, aliás, de que os hormônios estão funcionando. A não ser que você estivesse na menopausa.

Nojento? Sim, muitas têm, eu sei. E por isso usam protetor diário. Não precisa, mas se incomodar muuuito, pode. O melhor seria trocar de calcinha, porque o protetor “abafa” a vagina, favorecendo o surgimento de infecções. Deixa a menina tomar um ar, coitada!

A secreção vaginal e os hormônios

A secreção vaginal é resultado da ação dos hormônios (estrogênio e progesterona) sobre as células vaginais, que produzem o muco de acordo com a época do ciclo menstrual. Funciona mais ou menos assim:

– Após a menstruação, há predomínio do estrogênio, portanto, a secreção fica clara. Tem mulheres que ficam com resquícios de sangue por mais tempo, por isso, a secreção pode ficar mais espessa e um pouco amarelada, mas sem odor.

– No período ovulatório, o muco fica bem fluido e claro, tipo clara de ovo. Às vezes, podem aparecer uma “gelecas” clarinhas. É muito muco, mulherada, e serve para ajudar aqueles espertinhos de cauda nadarem direto para o óvulo (isso mesmo!).

– Depois dessa fase, predomina a progesterona (conhecido como o hormônio da gravidez, já que seus níveis aumentam durante os nove meses) e a secreção vaginal fica grossa e esbranquiçada. Mas, como sei (afinal, sou mulher!), também surge amarelada na calcinha. O motivo? Por conta da ação dos leucócitos, nossas células de defesa. Elas ficam ali na região exatamente para nos defender e fazer uma “faxina” nas inúmeras células que descamam e morrem. A secreção amarelinha é típico das mulheres sexualmente ativas – já que o organismo delas está em contato com as células do parceiro (ou parceiros).

Também me confundo, não se preocupe. Na dúvida, cheire sua calcinha. Eu cheiro todos os dias, porque o odor pode sinalizar muitas coisas importantes. Se lembrar a “peixe estragado”, por exemplo, marque uma consulta com o gineco imediatamente. Vale lembrar que esse cheiro piora durante a menstruação e após a relação sexual. Outros sinais para ficar esperta: secreção amarelo-esverdeada, coceira e ardência na região. Podem indicar uma série de doenças, que só um exame ginecológico irá diagnosticar.

Quem usa pílula ou qualquer outro contraceptivo hormonal fica com a secreção sempre igual à segunda fase, ou seja, espessa e esbranquiçada (ou amarelinha). Idem na gestação, porém, em maior quantidade ainda.

A mensagem mais importante é: conheça a si mesma! O que inclui observar a sua secreção para saber se está tudo bem e identificar o seu padrão. Não tem por que termos nojo do nosso próprio corpo.

Gravei um breve vídeo em parceria com a Care Free esclarecendo as principais dúvidas sobre a secreção vaginal e o uso do protetor diário de calcinha. Assista e compartilhe:

2020 © Carolina Ambrogini

Website gerenciado por Meu Consultório Digital

Siga-me nas redes sociais
InstagramWhatsApp