Open/Close Menu Site da Dra. Carolina Ambrogini, Ginecologista e Obstetra em São Paulo - SP, Especialista em Saúde Feminina e Sexualidade, consultório na Vila Olímpia.

   Queridas, ao ler o texto sobre parto normal x convênio do Blog Mulheres na Berlinda da minha amiga também obstetra, Lorena , também não me contive, precisava vir dar o meu pitaco.
   Tudo começou porque esta semana foi divulgada as estatísticas dos partos no nosso país de 2011 e o parto cesárea superou, pela primeira vez, o número de partos normais.
   Foi uma triste notícia, porém verdadeira. O número de cesáreas suplantou o dos partos normais por conta dos partos das maternidades particulares onde os convênios reinam. É decepcionante que um momento tão belo e importante da vida humana seja diminuído por uma questão financeira. Mas é, e olhando assim de perto, dá pra entender o porquê.
   Vou te explicar: Os convênios remuneram muitíssimo mal o médico ( por volta de R$250 a 700, dependendo do convênio) e pagam o mesmo valor para parto normal e a cesárea. Só que a cesárea dura 1 hora e o parto normal, em média, 10. Não bastando isto, a cesárea marcada pode ser inserida na agenda do médico, enquanto que o parto normal, não. Pode acontecer a qualquer hora e o médico, além de ganhar mal, tem que cancelar toda a sua agenda.
   Parece frio e calculista, não é? Sim, mas você não tem ideia da rotina exaustiva de um médico que atende pelo convênio. Ele precisa fazer volume para sobreviver e com uma qualidade de vida péssima. Atende 40 pacientes por dia ou mais, lida com assuntos seríssimos, tem uma responsabilidade nas costas que vocês nem imaginam, além disto, tem contas para pagar igual a qualquer outra pessoa. Por isto, concordo com a Lorena, não recrimino o médico que só faz cesárea, desde que ele abra o jogo com a paciente desde o princípio! O que não dá é para induzir a paciente que quer parto normal a ter cesárea! Inventar indicações! 
   Além disto, há uma questão  importante aqui no Brasil, as mulheres querem o seu médico na hora do parto. Nos outros países onde a cesárea é excessão, as parturientes dão a luz com a equipe de plantão do dia, dificilmente os médicos do pré-natal as acompanha.
   Sem falar no mito de que a cesárea é mais segura, já falei disto aqui. Na residência ouvimos sempre a frase: “Se um bebê não nasceu bem de parto normal, vão te perguntar: por que não fez cesárea? Se não nasceu bem de cesárea vão falar: ainda bem que fizeram logo uma cesárea!” Por conta desta forma de pensar, muitos médicos ficam receosos de tentar um parto normal se há qualquer mínima intercorrência durante o pré-natal ou trabalho de parto. E os processos? Ninguém fala? Já tive vários colegas que tiveram que prestar depoimento na delegacia, o famoso: “o médico deixou passar da hora de nascer”.
   É, a questão é bem mais profunda. A verdade é que a nossa realidade está muito longe da ideal ou até da minimamente satisfatória no quesito assistência ao parto. Os números são tristes e não acredito em mudanças a curto-médio prazo. Quem quer parto normal acaba tendo que escolher um médico particular ou ganhar no SUS. É justo? Não sei, só sei que nesta história toda os mais prejudicados são os pacientes e os médicos também, acreditem!
 bjs

2020 © Carolina Ambrogini

Website gerenciado por Meu Consultório Digital

Siga-me nas redes sociais
InstagramWhatsApp