Open/Close Menu Site da Dra. Carolina Ambrogini, Ginecologista e Obstetra em São Paulo - SP, Especialista em Saúde Feminina e Sexualidade, consultório na Vila Olímpia.

A função primordial do sexo é a reprodução, mas nós, seres humanos, somos os únicos animais que também o fazemos por prazer, envolvimento e cumplicidade. Pensando desta forma, é fácil concluir que sexo é para a vida inteira, independente de menopausa e do envelhecimento natural da vida. Por que abrir mão de algo que faz tão bem?

Podem dizer que com a idade os hormônios caem e a vontade já não é mais aquela. Concordo, mas se você estiver em um relacionamento interessante, a vontade vai vir, sim. Talvez seja necessária a ajuda de remedinhos, géis ou cremes hormonais… mas qual o problema?

Independentemente da questão hormonal, o desejo sexual surgirá se a sexualidade estiver “ativa” – o que significa não apenas fazer sexo, mas também se estimular constantemente com livros, filmes e séries de televisão mais picantes. Hoje em dia, encontramos estímulos eróticos para todos os gostos facilmente, basta ter disponibilidade para procurar.

Várias pesquisas já mostraram que as pessoas que se mantém sexualmente ativas depois da meia-idade vivem mais, tem menos doenças cardiovasculares e alterações de humor. Dá para entender, já que a prática sexual eleva a autoestima, produz endorfinas e integra o casal de uma maneira que nenhuma outra coisa faz, nem os netos.

Além disso, o envelhecimento traz coisas ótimas como o amadurecimento e conquistas de vida que quando jovens não temos. Há mais tempo e disponibilidade financeira para viajar e curtir a vida a dois. Sim, existem os problemas de saúde, as mudanças do corpo, mas o companheirismo para compreender tudo isso e se adaptar é maior. Só não dá para desistir, ok?

Foto: Maria Kaloudi / Freeimages.com

2020 © Carolina Ambrogini

Website gerenciado por Meu Consultório Digital

Siga-me nas redes sociais
InstagramWhatsApp