Open/Close Menu Site da Dra. Carolina Ambrogini, Ginecologista e Obstetra em São Paulo - SP, Especialista em Saúde Feminina e Sexualidade, consultório na Vila Olímpia.

  

   Apenas 20% das mulheres em idade fértil não tem nenhum sintoma menstrual ou peri-menstrual. Todo o restante sente alguma coisa com a chegada do sangramento mensal.
   Os principais sintomas desta fase são: cólicas (a chamada dismenorréia), cefaléia, dor nas mamas, inchaço e a famosa TPM. Outras sangram tanto que chegam a ter anemia. Se formos contar os cinco dias de TPM mais outros cinco, em média, de sangramento teremos cerca de dez dias de desconforto (para algumas, sofrimento) num mês. Gente, dá até pra entender porque os homens reclamam tanto, né?
   Certa vez, li um livro sobre a história do povo hebraico, mais especificamente das mulheres da tribo de Jacó, que originou os judeus. Sara, Esther, Lia, Raquel. Lindos nomes para mulheres fortes.
   O povo hebraico era nômade e sempre que se instalavam num lugar, montavam uma tenda vermelha destinada às mulheres que estavam menstruadas, para as parturientes e para as que estavam na quarentena do pós- parto. Qualquer mulher que estivesse sangrando ia para a tenda e ficava de repouso. Tinha um lance também delas serem consideradas impuras neste período. Não sei como os homens se viravam, pois geralmente as mulheres que convivem num mesmo ambiente costumam menstruar no mesmo período, mas não me perguntem a razão…
   Hoje não podemos ficar de repouso só porque estamos menstruadas, não é mesmo? Pois deveríamos ficar! Deviam nos deixar quietinhas no nosso canto, sem obrigações ou amolações. Mas fomos queimar os sutiãs…Ainda bem que a medicina evoluiu e hoje há um arsenal terapêutico para tudo que é queixa ligada ao ciclo menstrual. Muitas se perguntam se devem continuar menstruando. Já lhes digo que tudo bem, não menstruar. O sangue não fica retido e “sobe pra cabeça”, viu? Aliás, é um alívio não ter que se preocupar com os absorventes, mas cada mulher é única e assim deve ser encarada pelo médico. O que funciona pra uma, pode não dar certo pra outra.
   Queria só deixar uma mensagem para que respeitemos nosso corpo neste período delicado. Não vai querer correr a maratona ou fazer hora extra no trabalho. Entenda que são dias em que você precisa pegar leve, tomar um chazinho, ir dormir mais cedo…
   Lembre-se, não adianta ir contra a nossa natureza, ela é mais forte.  
Fica a dica de mais um livro, Bjs

2020 © Carolina Ambrogini

Website gerenciado por Meu Consultório Digital

Siga-me nas redes sociais
InstagramWhatsApp