Open/Close Menu Site da Dra. Carolina Ambrogini, Ginecologista e Obstetra em São Paulo - SP, Especialista em Saúde Feminina e Sexualidade, consultório na Vila Olímpia.
higiene íntima após o sexo

Ao se iniciar a vida sexual, isso implica também em certas responsabilidades que devemos ter com o nosso corpo e saúde íntima. Entre os cuidados essenciais estão o uso de preservativos, manter consultas regulares com o ginecologista e ter todos os exames em dia. Além disso, uma outra atitude que é bem simples, porém muito importante, é realizar a higiene íntima após o sexo. Você sabia que essa limpeza pode evitar possíveis doenças? Conversamos com a ginecologista Carolina Ambrogini para entender melhor essa relação e saber como ela deve ser feita.

Qual a importância da higiene íntima após o sexo?

Durante o banho e após ir ao banheiro é essencial fazer uma boa higiene íntima. Mas não é só nesses momentos que ela é importante! Após uma relação sexual, é recomendado que se realize essa limpeza. Isso é importante para evitar infecções que possam ser causadas por bactérias que são transportadas durante sexo.

É importante lembrar, no entanto, que essa limpeza após a relação não previne contra doenças sexualmente transmissíveis. “As DSTs só são prevenidas com preservativo e não com higiene”, alerta a profissional.

Como deve ser feita a higiene nesse momento?

Não basta só saber que essa limpeza deve ser feita, é muito importante que a higiene nesse momento seja realizada da forma adequada. “A mulher deve urinar após o sexo para evitar infecções urinárias, que pode ocorrer quando as bactérias dela própria, de origem intestinal, entram na bexiga por conta da relação sexual”, explica Carolina. Depois disso, se ela se sentir incomodada pode também lavar ou passar um lenço umedecido apenas externamente na vulva. “Banho não é obrigatório e duchas vaginais internas são proibidas”, alerta ela.

Cuidado com o chuveirinho!

A higiene após o sexo deve ser feita, portanto, com o xixi e a limpeza externa da área. Mas neste momento, nem pensar em usar o chuveirinho! “As duchas internas são proibidas nessa hora por alterarem a flora e por fazerem com que bactérias nocivas que eventualmente foram transmitidas pela relação sexual cheguem até o útero, causando uma infecção mais grave”, explica a ginecologista.

Exagerar na hora da higiene também não traz benefícios para sua saúde íntima, sendo possível até mesmo que provoque problemas. “O esperma não é contaminado por bactérias, apenas se o homem tem uma DST, mas lavar-se em abundância não vai prevenir uma doença”, reforça. Lavar demais pode alterar a flora vaginal que esteja normal, podendo então, levar ao surgimento de infecções.

2020 © Carolina Ambrogini

Website gerenciado por Meu Consultório Digital

Siga-me nas redes sociais
InstagramWhatsApp